Anterior

Com ajuda da família, professor ministra aulas online de Taekwondo em Votorantim

25/05/2020

Anterior

Próxima

Resumo das novelas - 25 a 30 de Maio

25/05/2020

Próxima
25/05/2020 - 05:24
Histórias da Minha Cidade - As mulheres na Emancipação e no desenvolvimento local
 Foto: Arquivo  

.

.

 

Cesar Silva


O protagonismo feminino é marcante ao longo dos anos em Votorantim e muitas vezes não reconhecido como deveria. Um exemplo disso é que quando são citadas as principais lideranças da Emancipação vemos uma grande relação de nomes masculinos. Uma injustiça! Pois se os homens discursavam e se projetaram no movimento é por que contaram com o suporte das mulheres, que garantiram o zelo do lar e dos filhos num período em que as famílias eram maiores e se não fossem elas, os homens não teriam liberdade para acompanhar os eventos pró-desmembramento realizados à noite e finais de semana.

Dá para imaginar a cena, numa casa operária bem humilde, o marido pronto para ir para mais um evento a favor da Emancipação e a mulher mesmo com aquela vontade de acompanhá-lo e de também exercer o seu direito ficou em casa junto aos seus pequenos filhos, mostrando-se guardiã do lar. Fisicamente presente na moradia, mas nos pensamentos estava no meio daqueles que manifestavam-se com fervor à favor da Emancipação.

Votorantim já emancipada, teve em sua história uma vice-prefeita na gestão 1997 a 2000. Já na Câmara demorou 44 anos, contados a partir da Instalação do Município para que pela primeira vez tivéssemos vereadoras.

Ah de se destacar que as mulheres sempre foram expressivas em volume lecionando na rede estadual de ensino e principalmente nas escolas municipais. Além de ser símbolo de ternura nos lares, elas enquanto docentes direcionaram seus esforços para contribuir na formação escolar de nossos estudantes.

A história local precisa deixar um capítulo especial para também se dedicar à mulher operária, pois desde a existência da centenária fábrica de tecidos Votorantim, deixavam seus filhos na creche da empresa e iam cumprir a jornada de trabalho. A representatividade feminina na mão-de-obra da empresa sempre foi expressiva. Muitas são as mulheres abnegadas que passaram anos e anos em frente aos teares e num ritmo forte de produção garantiram com tamanha dedicação seus esforços até conquistar a aposentadoria.


Cesar Silva nasceu em Votorantim, é jornalista servidor municipal e autor de três livros sobre a história local


Coluna publicada na página 15, da edição nº365, da Gazeta de Votorantim, de 23 a 29 de Maio de 2020.



Veja mais fotos:

  1. Estampa do Sim, pouco difundida no movimento de Emancipação

  2. Estampa do Sim, pouco difundida no movimento de Emancipação







Deixe seu comentário



Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.