Anterior

Sessão para discussão de parecer referente às contas da Prefeitura no Exercício 2016 é adiada por conflito em teor de relatório de Comissão

11/07/2020

Anterior

Próxima

Gazeta e TV Votorantim deixam de receber material da assessoria de comunicação da Câmara Municipal de Votorantim

11/07/2020

Próxima
11/07/2020 - 20:34
Coluna Cerca-Lourenço, edição 372, de 11 de julho

.

.

 

Teria o presidente da Câmara proibido sua assessoria de compartilhar informações da Casa com a Gazeta de Votorantim?

O pastor presidente da Casa de Leis de Votorantim teria começado a semana (06/07) determinando que nenhuma informação fosse disponibilizada para a Gazeta de Votorantim, TV Votorantim e Rádio Votorantim. Esta decisão do nobre vereador e presidente foi confirmada por, pelo menos, três servidores da Câmara, e seria uma represália ao fato de a Gazeta de Votorantim ter feito, na última edição deste jornal, uma comparação sobre o valor da devolução de uma parte do saldo remanescente do duodécimo da Câmara. Na sexta (03), o pastor anunciou a devolução de R$ 300 mil à Prefeitura de Votorantim dizendo que a quantia devolvida aos cofres públicos é fruto da economia e contenção de gastos.

Esta coluna apenas lembrou que o ex-presidente Bruno Martins no mesmo período de anos anteriores fez a devolução R$ 500 mil à Prefeitura de Votorantim e, sendo assim, Bruno, na função de presidente, teria feito mais economia e contenção de gastos.

 

Então por que outros veículos receberem informações e a Gazeta não?

Na terça-feira (07), o departamento de jornalismo da Gazeta de Votorantim e da TV Votorantim teve acesso a uma nota do jornal sorocabano Cruzeiro do Sul, na qual trazia a informação de que a Câmara Municipal de Votorantim realizaria naquele dia (07), às 15 h, sua 7ª Sessão Extraordinária com objetivo de discutir o Projeto de Decreto Legislativo (PDL) nº 002/19, que tratava da aprovação do parecer emitido pelo Tribunal de Contas do Estado de São Paulo, referente às contas da Prefeitura Municipal de Votorantim, do Exercício 2016, gestão do então prefeito Erinaldo Alves da Silva (PSDB).

Com isso, a redação percebeu que tinha alguma coisa errada, pois esta informação não havia sido enviada à nossa redação como sempre aconteceu.

 

Presidente nega o boicote

O assunto virou matéria da Gazeta de Votorantim, que além de ouvir o presidente da Câmara, Pastor Lilo, ouviu todos os vereadores.

O presidente negou qualquer tipo de boicote às redações da Gazeta de Votorantim e da TV Votorantim, e além de ser categórico na afirmação de que não procede, fez elogios e destacou o importante papel que a Gazeta de Votorantim e TV Votorantim exercem na cidade. Já os vereadores foram unânimes em dizer que não sabiam da tal determinação.

 

Foi novidade? Não!

Mas para quem acompanha a carreira política do vereador Alison Andrei Pereira de Camargo (Lilo) desde os tempos em que ele tinha a palavra Comas acrescentada em seu apelido, e depois trocado a palavra Comas, pela palavra pastor, não estranha alguns comportamentos.

Deslumbrado pelo poder e tendo selado acordos com outros políticos votorantinenses que até então acreditavam que o vereador pastor poderia ser um aliado fiel, estes mesmos estão hoje pagando o preço de ter atravessado o rio com o escorpião em suas costas.

 

De magoado a aliado

O prefeito Fernando Oliveira Souza e sua esposa Luciane Nunes de Oliveira Souza foram vítimas de perseguições e acusações do vereador pastor, mas foi este mesmo Fernando Oliveira Souza que moveu pedras e montanhas, elaborou estratégias e rompeu com aliados para ver seu desafeto e de sua esposa presidindo a Casa de Leis da cidade, isto porque se acreditava que com o senhor Alison Andrei Pereira de Camargo (Lilo) realizando seu sonho de poder, o governo teria como aliado o presidente e todos os outros vereadores que compõem a Mesa e, com isto, as diferenças e as mágoas seriam esquecidas.

 

Cumpriu?

Não é o que vem acontecendo nestes dezenove meses à frente do comando da Câmara. Vereadores como Mauro do Materiais (PTB), Pastor Dr. Luiz Carlos (PSL), Pissinato (ex-CIDADANIA e hoje PSDB), Gaguinho (ex-DEM e hoje PTB) deixaram de ter paciência e tolerância com o governo e isto se deve à forma com que foi conduzida a eleição da Mesa.

 

Secretário Laino na condução e no diálogo

Eleição que causou um desgaste ao secretário de governo Carlos Laino que foi convocado pelo prefeito para acompanhar e dialogar com os vereadores e convencê-los de que Alison Andrei Pereira de Camargo (Lilo) era a melhor opção para a presidência da Câmara, mesmo que para isto fosse necessário um rompimento com o ex-vereador Pastor Tonhão, que por sua vez ficou tão desestimulado e enojado do jogo político que fez o que não deveria ter feito, desistiu da política.

 

Rabo preso. Quem?

Gaguinho (PTB) chamou na última terça-feira (07), durante a sessão extraordinária, seus colegas de “Rabos Presos”. Este tipo de agressão verbal é baseada no fato de que os vereadores que se elegeram para a Mesa juntamente com Alison Andrei Pereira de Camargo (Lilo) tinham a certeza de que o presidente não faria nada de sua própria cabeça, que todos iriam opinar em qualquer decisão, seja sobre a troca de um simples piso ou quando da necessidade de se fazer uma sessão com objetivo de analisar as contas da Prefeitura Municipal de Votorantim, do Exercício 2016, gestão do então prefeito Erinaldo Alves da Silva (PSDB) meses antes da eleição municipal, coisa que poderia ter sido feita há, pelo menos, 18 meses.

 

A maior parte dos pares não tomou posição

Nos primeiros meses sentando no centro da mesa e presidindo a Câmara de Votorantim, Alison Andrei Pereira de Camargo (Lilo) passou a perseguir a jornalista Luciana Lopez. As razões seriam a atenção que ele acreditava que a jornalista vinha dando a vereadora Fabíola Alves Pedrico e não a ele (o que não era verdade), com isto, a jornalista, que fazia a cobertura das sessões há pelo menos oito anos, começou a ser cerceada em seu trabalho, a ponto de deixar de acompanhar às sessões presencialmente e não atuar mais como setorista. Mas justiça seja feita, um presidente, seja do Brasil ou da Câmara de Votorantim, só toma certas decisões quando tem ao seu lado cúmplices ou, no mínimo, pessoas que preferem fazer de conta que não é com eles, ou pior ainda, pessoas que aceitam cumprir ordens porque sabem o grau de vingança de que o chefe é capaz. Na ocasião, vale destacar, alguns poucos vereadores não se calaram e demonstraram seus descontentamentos.

 

“Laino” da Câmara

Da mesma forma que Fernando Oliveira Souza (DEM) tem seu homem de confiança, o chamado o ‘blindador’, no Legislativo o presidente Alison Andrei Pereira de Camargo (Lilo) (DEM) que, mesmo salvando as devidas proporções, tem o seu faz-tudo, resolve-tudo. Jhonny Lauri Vasque é o segundo homem da Câmara e chega a comandar reuniões dos mais diversos assuntos da Casa. No início da última semana, Jhonny esteve à frente de uma reunião na qual participaram o ex-presidente da Casa, Eric Romero (CIDADANIA), os advogados da Casa, Laudicéia Soares e Claudinei Fernando e o diretor-geral, que também é bacharel em Direito, Caio Toledo. O assunto da reunião era, obviamente, jurídico, mas foi Jhonny Lauri Vasque quem conduziu a conversa.

 

Gaeco não se esqueceu

A investigação que o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público vem realizando no âmbito da Câmara Municipal de Votorantim também foi afetada pela pandemia do novo coronavírus.

Portanto, quem pensou que o Gaeco havia se esquecido de investigar todas as denúncias que movimentaram os corredores do Legislativo votorantinense no ano passado, se enganou.

 

Trâmite da investigação

Nota da assessoria de comunicação do Ministério Público de São Paulo enviada à Gazeta de Votorantim informa que “a investigação tramita de forma física e, conforme resolução da Procuradoria Geral de Justiça, está suspensa em razão da pandemia”.

 

Torcida grande

Agora, com essa informação enviada pela assessoria de comunicação do Ministério Público, há gente torcendo para que a pandemia demore a passar. Mas, também é grande a torcida para que tudo isso passe o quanto antes para o bem da saúde pública e também para que a justiça prevaleça.

 

Pré-campanha

Fabíola Alves Pedrico (PSDB) vem semanalmente postando vídeos históricos nos quais mostra os avanços da cidade nos anos em que seu pai foi prefeito, principalmente registros da década de 80.

Depois de exibir em seu Facebook a inauguração da UBS do Rio Acima com a presença de Mario Covas e um discurso inflamado de seu pai, esta semana foi a vez da vereadora postar imagens da inauguração do SESI de 1987, uma festa com direito a frutas grátis para o povo e um show da Mara Maravilha.

 

Rodrigo Chizolini é responsável pela Representação à Procuradoria Geral da República contra Doria e Bolsonaro

O advogado e pré-candidato a prefeito Rodrigo Chizolini foi o responsável pela elaboração da Representação para Instauração de Inquérito Civil na Procuradoria Geral da República que tem como procurador Augusto Aras.

A Representação questiona o relaxamento da quarentena em São Paulo e cobra do Governador João Doria e do presidente Jair Bolsonaro que promovam políticas de ampliação da renda básica, de modo a garantir não apenas o dever, mas o direito ao isolamento social para se proteger.

O documento protocolado na Procuradoria Geral da República diz ainda que não há vacina para a Covid-19, sendo assim, o isolamento social é a única forma de se proteger contra a doença.

Assinam a representação elaborada pelo votorantinense Rodrigo Chisolini, Sâmia de Souza Bomfim, deputada federal por São Paulo (PSOL), Mônica Cristina Seixas Bonfim, deputada estadual no Estado de São Paulo (PSOL), Mariana Conti Takahashi, vereadora no município de Campinas (PSOL) e Fernanda Garcia, vereadora de Sorocaba (PSOL).

 

Pivetta com Marcão

O pré-candidato a prefeito de Votorantim Marcão Papeleiro, do PT, esteve reunido com o ex-prefeito da cidade, Carlos Augusto Pivetta, na última terça-feira (07), para conversar sobre o cenário social, econômico e político do município. A coordenadora da pré-campanha do Marcão, Lucélia Ferrari, também participou da conversa.

Além de analisarem as condições atuais da administração e da população votorantinense, os participantes relembraram as realizações feitas na cidade nos períodos em que Pivetta foi primeiro vice-prefeito (gestão Cassola) e depois prefeito. Na mesma época, Marcão era vereador e foi presidente da Câmara.

Pivetta garantiu total apoio e empenho em favor da pré-candidatura e da futura campanha de Marcão para prefeito.

Uma agenda comum entre Pivetta, Marcão e pré-candidatos a vereadores pelo PT de Votorantim deverá ser formulada nos próximos dias.

 

Falta de diploma

O Ministério Público (MP) de Votorantim recebeu nesta semana uma denúncia relacionada a suposta falta de escolaridade obrigatória para o desempenho de determinada função pública, ocupada por um servidor concursado da Prefeitura de Votorantim há quase 15 anos, e que por várias vezes foi designado para cargos de provimento em comissão. Sobre o assunto, o MP solicitou à Prefeitura de Votorantim esclarecimentos sobre os fatos apontados na representação assinada por uma advogada.

 

Coluna publicada na página 2, da edição nº 372 da Gazeta de Votorantim, de 10 a 17 de julho de 2020

 

 










Deixe seu comentário



Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.