Anterior

Rubens Mesadri não acompanha PDT e declara apoio a Fernando de Oliveira Souza

28/09/2020

Anterior

Próxima

Ameaçada, pré-candidata à Prefeitura de Votorantim registra queixa na Polícia

28/09/2020

Próxima
28/09/2020 - 15:54
Jair Cassola comenta o motivo de não apoiar Silvano ou Marcão


.

.

Por telefone, o ex-prefeito Jair Cassola comentou sua decisão de apoiar o PSDB. Embora não tenha sido questionado diretamente sobre a opinião de Rubens Mesadri, Cassola sabe que sua decisão de apoiar o PSDB nas eleições deste ano repercutiu na cidade. 

Durante o programa Votorantim Verdade, da TV Votorantim, o representante do PTB, Prof. Márcio Antonio da Silva, comentou o questionamento de uma telespectadora sobre o fato de Cassola não ter apoiado o candidato do PTB Silvano Donizetti Mendes, que concorreu como candidato a vice-prefeito na chapa encabeçada por Cassola nas eleições de 2016. Márcio respondeu que esperava esse apoio, ou que o apoio fosse ao candidato do PT, Marcão Papeleiro, que também apoiou Cassola em 2016.

“Quero dizer que eu não traí o meu partido (PDT). O próprio Silvano, na campanha pediu para eu parar de fazer campanha e passar para ele. O PT largou eu no meio do caminho na campanha para a estadual e quer que eu faça o que? Na época em que o Silvano foi candidato a vice meu, ele pediu que eu renunciasse para ele assumir. Já o PT, em 2014, não me apoiou na campanha para deputado. Eu fiquei em terceiro lugar. Eles tiraram 15 mil votos de mim, e eu com mais 10 mil seria eleito. Em 2016, o apoio do PT foi parcial, o Pivetta [Carlos Augusto Pivetta, ex-prefeito] não me apoiou e na campanha de 2016. Eu não tenho mais afinidade com o PT, não quero caminhar junto. Quero que seja feliz e tudo bem. Mas eu caminhar junto? Eu não caminho com pessoas que me deixaram no caminho. O Pivetta não apareceu em nenhum programa meu em 2016”, disse.

E Cassola ainda afirmou que não gostou da declaração do Prof. Márcio. “Eu não devo obediência a ninguém. Eu sou um homem livre, fui prefeito duas vezes na cidade. Eu e o Erinaldo caminhamos juntos até 1990 no mesmo partido. Então não é novidade eu apoiar o Erinaldo”, finalizou.

Reportagem publicada na página 10, da edição nº 383, da Gazeta de Votorantim, de 26 de setembro a 2 de outubro de 2020.









Deixe seu comentário



Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.