Anterior

Editorial - Um líder para a casa do povo de Votorantim

22/11/2020

Anterior

Próxima

Perfis dos vereadores - Luciano Silva (Democratas) - 1.395 votos

22/11/2020

Próxima
22/11/2020 - 18:00
Sem nenhuma mulher, Câmara de Votorantim teve 45% de renovação
 Foto: Divulgação 

.

.

Luciana Lopez


Cinco vereadores irão debutar na Câmara Municipal de Votorantim na legislatura 2021 a 2024, o que representa 45% de renovação, já que o legislativo votorantinense possui 11 cadeiras.

Dos atuais vereadores, dois deles não concorreram ao mesmo cargo. Fabíola Alves da Silva Pedrico (PSDB) e Luiz Carlos dos Santos (PSL) se candidataram para o executivo, sendo que a primeira obteve êxito em sua empreitada eleitoral.


Reeleitos

Os seis vereadores que se reelegeram foram: Luciano da Silva (DEM), tendo sido o mais votado, com 1.395 votos. Na sequência, com pouca diferença nos votos, vem José Antonio de Oliveira, o Gaguinho (PTB), com 1.393 votos. Ainda entre os reeleitos, estão: Adeilton Tiago dos Santos, o Ita (Cidadania), com 1.382 votos, Alison Andrei Pereira de Camargo, o Pastor Lilo (DEM), que obteve 1.359 votos, José Cláudio Pereira, o Zelão (PT), com 1.257 votos, e Mauro Paulino Mendes, o Mauro do Materiais (PTB), com 1.254 votos.


Novos

Os cinco novos nomes que irão constar nas placas dos gabinetes são: Cirineu Barbosa (PMN), que obteve 1.385 votos, Lourival Cesário da Silva, o Cesar Silva (Cidadania), que obteve 1.308 votos, Murilo Lima Piatti (PSDB), com 820 votos, Thiago da Silva Schiming (PSDB), com 801 votos, e Rogério de Lima (PP), que teve 731 votos.


Ficaram de fora

Dos atuais vereadores, três não conseguiram se reeleger, sendo eles: Adalberto Leme de Oliveira, o Dr. Adalberto Farmacêutico (DEM), que teve 550 votos, Alfredo Pissinato Junior, Junior Pissinato, que teve 553 votos, e Bruno Martins de Oliveira, com 894 votos.

A curiosidade fica no fato de dois dos novos eleitos terem sido assessores de vereadores que não se reelegeram. Cirineu foi assessor de Junior Pissinato e Thiago Schiming assessorou Bruno Martins por muitos anos na Câmara.


Nenhuma mulher

Desta vez, nenhuma mulher foi eleita para ser vereadora em Votorantim de 2021 a 2023. Atualmente, há uma mulher, Fabíola Alves da Silva Pedrico, que sai em 31 de dezembro para ocupar o cargo de prefeita, sendo a primeira mulher eleita para o executivo votorantinense.

Em 2009, pela primeira vez, três mulheres ocuparam cadeiras no plenário, em 2013 e em 2017, houve uma redução para apenas uma mulher.

No ranking de votos, a mulher que obteve mais votos nas eleições de 2020 foi Silene Idalina Mariano Barros (DEM), que ficou na 20º posição com 623 votos, e a segunda foi Lilian Claudia Teixeira Barbosa, a Lilian Galvão (Cidadania), que ficou na 23ª posição, com 568 votos.


Brancos e nulos

Dos 63.641 eleitores que compareceram às urnas no último domingo (15), 5.646, ou seja 8,87%, anularam seus votos para vereador e 5.283, ou seja 8,30%, votaram em branco para vereador, totalizando 52.605 votos válidos. Destes, 48.893 escolheram um vereador para votar, e 3.712 votaram para a legenda (partido). 107 votos são considerados “anulados sob júdice”, pois foram dados aos dois candidatos que aguardam julgamento das suas candidaturas.


Votação dos partidos

A divisão das vagas na Câmara é baseada no quociente eleitoral (QE), que é o número de votos válidos, divido pelo número de vagas. Assim, não basta o candidato ter uma ampla votação, ele precisa também que o partido dele tenha votos suficientes para elegê-lo. A legislação eleitoral prevê, ainda, que só será eleito o candidato que ultrapassar a marca de 10% do quociente eleitoral.

No último dia 15, houve um comparecimento de 63.641 eleitores às seções votorantinenses, no entanto, houve 5.283 votos brancos e 5.646 votos nulos para vereador, e 107 votos anulados (sob judice) totalizando em 52.605 votos válidos.

O quociente eleitoral resultou em 4.782 votos. Cinco partidos ultrapassaram essa marca e garantiram automaticamente uma vaga na Câmara. As outras 6 vagas foram distribuídas calculando a sobra de votos, cadeira por cadeira. Para isso, dividiu-se o número total de votos do partido, pelo número de cadeiras obtidas, mais 1 (um). Assim, os partidos que alcançaram os maiores resultados depois dessa divisão, assumiram as cadeiras restantes.

Neste ano os partidos não puderam se coligar com outros para somarem seus votos. O PMN foi o partido com menor número de votos, 3.885, a conquistar uma vaga na Câmara. 


Confira os votos que 

cada partido obteve:

O Democratas obteve 7.747 votos nominais, 679 votos de legenda, totalizando 8.426 votos, conquistando 2 vagas na Câmara.

O Cidadania obteve 7.998 votos nominais, 94 votos de legenda, totalizando 8.092 votos, conquistando 2 vagas na Câmara.

O Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) obteve 6.513 votos nominais, 778 votos de legenda, totalizando 7.291 votos e conquistou 2 vagas na Câmara.

O Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) obteve 5.401 votos nominais, 452 votos de legenda, totalizando 5.853 votos e conquistou 2 vagas na Câmara.

O Partido dos Trabalhadores (PT) obteve 4.961 votos nominais, 666 votos de legenda, totalizando 5.627 votos e conquistou 1 vaga na Câmara.

O Progressistas (PP) obteve 3.985 votos nominais, 157 votos de legenda, totalizando 4.110 votos e conquistou 1 vaga na Câmara.

O Partido da Mobilização Nacional (PMN) obteve 3.839 votos nominais, 46 votos de legenda, totalizando 3.885 votos e conquistou 1 vaga na Câmara.

O Partido Social Liberal (PSL) obteve 2.301 votos nominais, 329 votos de legenda, totalizando 2.630 votos e não conquistou vaga na Câmara.

O Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) obteve 253 votos nominais, 2.260 votos de legenda, totalizando 2.513 votos e não conquistou vaga na Câmara.

O Partido Republicano da Ordem Social (PROS) obteve 1.961 votos nominais, 42 votos de legenda, totalizando 2.003 votos e não conquistou vaga na Câmara.

O Podemos PODE obteve 1.441 votos nominais, 36 votos de legenda, totalizando 1.477 votos e não conquistou vaga na Câmara.

O Partido Democrático Trabalhista (PDT) obteve 277 votos nominais, 157 votos de legenda, totalizando 434 votos e não conquistou vaga na Câmara.

O Solidariedade obteve 316 votos nominais, 55 votos de legenda, totalizando 371 votos e não conquistou vaga na Câmara.

 

 

Reportagem publicada na página 09 da edição 391 da Gazeta de Votorantim de 20 a 27 de novembro de 2020










Deixe seu comentário



Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.